Buscar

CNT participa do Fórum Brasileiro de Transporte Aquaviário

Evento debateu perspectivas e desafios da navegação interior no país


Nesta quinta-feira (24), a Fenavega (Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária) promoveu, em Manaus (MA), o Fórum Brasileiro de Transporte Aquaviário. Sediado na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, o evento teve a participação de diversos players do setor. A CNT (Confederação Nacional do Transporte) foi representada por seu presidente, Vander Costa.


Entre os temas debatidos no encontro, destacaram-se: a necessidade urgente de desburocratizar o setor; a proibição de afretamento de embarcações estrangeiras na navegação interior da região amazônica; e a formação de profissionais para o setor pelas escolas de formação do Sistema S.


Em sua fala, Vander Costa ressaltou a necessidade de se criar uma cadeia logística integrada. “O modal hidroviário, isoladamente, não é capaz de acessar os pontos de origem e de destino final dos produtos e passageiros transportados, demandando integração com outros modos de transporte. Para que a multimodalidade seja uma realidade, o Sistema CNT tem buscado, de maneira incansável, a desburocratização, a segurança jurídica e a efetivação de uma infraestrutura adequada”, afirmou.


O presidente da Fenavega, Raimundo Hollanda, também citou a melhoria da infraestrutura como uma pauta prioritária do modal. “Temos 60 mil quilômetros de rios e só navegamos em 18 mil. Tudo com muita dificuldade, com condições de navegação diferentes em cada hidrovia. Hoje, nossa prioridade é a situação da hidrovia Tietê-Paraná, que não tem possui investimentos e está praticamente parada. É preciso que o governo federal disponibilize os recursos necessários”, destacou.


Ainda durante o encontro, foi empossada a nova diretoria do Sindarma (Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial do Estado do Amazonas), com a presença do novo presidente da entidade, Galdino Alencar Júnior.


Também participaram do fórum: Lilian Schaeffer, vice-presidente executiva do Syndarma (Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima); Luiz Felipe Antunes de Gouveia, presidente do Sindporto (Sindicato Rural de Porto dos Gaúchos); Luiz Fernando Resano, diretor-executivo da Abac (Associação Brasileira dos Armadores de Cabotagem); Marcelo Neri, presidente da Fenamar (Federação Nacional das Agências de Navegação Marítima); e Carlos Augusto Cordovil, diretor da Abrabunker (Associação Brasileira de Bunker).


Fonte: Agência CNT de Notícias Transporte Atual

5 visualizações