Buscar

Dnit terceirizará operação e manutenção das barragens

Autarquia lançou edital de licitação para a contratação de empresa responsável pelos serviços nos complexos


A Administração das Hidrovias do Sul do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) vai terceirizar a operação e manutenção das barragens e eclusas nas hidrovias dos rios Jacuí e Taquari, integrantes do sistema Mercosul. A autarquia lançou em 13 de novembro o edital de licitação para a contratação, por meio de pregão eletrônico, de empresa responsável pelos serviços. O investimento está orçado no valor global de R$ 6.324.499,83 por ano para os trabalhos nas barragens do Fandango (Cachoeira do Sul), Anel de Dom Marco (Rio Pardo), Amarópolis (General Câmara) e Bom Retiro do Sul.


A abertura dos envelopes com as propostas ocorrerá nesta segunda-feira, às 8h30, em Porto Alegre. A contratação, de empresa única, visa dar continuidade à operação e manutenção das barragens e eclusas, que vinham sendo executadas pela Administração das Hidrovias do Sul (AHSul/Dnit), por meio de convênio celebrado em 2008 com a Companhia Docas do Maranhão. O acordo foi extinto, e o Dnit absorveu a administração. As três barragens do Rio Jacuí permitem a navegabilidade em quase toda a sua extensão, enquanto o complexo do Bom Retiro do Sul viabiliza o transporte por embarcações até o porto de Estrela.


Os complexos hidroviários atualmente se encontram em condições precárias devido à falta de recursos para manutenção, mas operam de forma normal. No Anel de Dom Marco, em Rio Pardo, por exemplo, um portão da eclusa está trancado. Atualmente, o maior movimento é de embarcações de mineradoras. No local trabalham 19 funcionários, incluindo guardas.

A Barragem de Amarópolis também apresenta problemas. Em janeiro deste ano, uma comitiva de lideranças de Vale Verde e outros municípios da região teve uma audiência na AHSul para cobrar reparos no complexo, pois 18 das 44 comportas estavam estragadas e não fechavam mais.

Os complexos


Barragem e Eclusa do Fandango

Esta barragem foi a primeira a ser edificada em função da necessidade da construção de uma ponte rodoviária sobre o Rio Jacuí, em Cachoeira do Sul. Por isso, apresenta características geométricas menores em relação aos demais complexos no trecho da hidrovia. A obra iniciou em 1952 e foi concebida como o terceiro degrau do projeto de canalização do Jacuí para melhorar a navegabilidade. A conclusão dos trabalhos ocorreu em 1958. Por ser a barragem mais antiga, os portões da eclusa possuem sistema eletromecânico de operação, exigindo que, por ocasião das enchentes, mantenham-se pressurizados os compartimentos que alojam os motores e seus mecanismos de acionamento, com necessidade de permanência de um empregado de plantão para solucionar eventuais problemas nos equipamentos.


Barragem do Anel de Dom Marco

A construção começou em 1966, oito anos após a conclusão da Barragem de Fandango, e terminou em 1972. Constitui o segundo degrau da hidrovia, com um remanso de 63 quilômetros para a navegação no trecho da montante. A obra apresenta como peculiaridade o fato da eclusa não estar localizada de forma adjacente à barragem, mas num canal de derivação, aberto de modo a seccionar o meandro de oito quilômetros que o rio forma no local.


Barragem de Amarópolis

A obra entre os municípios de General Câmara e Butiá começou em 1971 e a conclusão ocorreu em dezembro de 1974, representando a finalização do processo de implantação da chamada primeira etapa da canalização do Rio Jacuí. Permite a navegabilidade por uma extensão de 65 quilômetros no trecho da montante. Representa o primeiro degrau a ser transposto pelas embarcações que se dirigem a partir de Porto Alegre ou do Rio Taquari em direção aos portos de atracação existentes no Jacuí, principalmente nos municípios de Rio Pardo e Cachoeira do Sul. O volume de tráfego chega a 3 mil embarcações ao ano, a grande maioria de areeiros. O complexo, junto com as barragens de Dom Marco e do Fandango, proporciona um trecho de navegabilidade de aproximadamente 300 quilômetros ao longo do Rio Jacuí.


Barragem de Bom Retiro do Sul

É a única barragem existente ao longo do Rio Taquari e a definição da construção ocorreu em 1956 pelo governo do Estado, através do Departamento Estadual de Portos, Rios e Canais, com o início das obras em 1958. Depois da paralisação por diversos anos em decorrência da falta de recursos, em 1970 houve a retomada dos serviços mediante celebração de convênio com o Ministério dos Transportes. A inauguração ocorreu em 1976. Originalmente, deveria se constituir no primeiro de três barramentos planejados especialmente para beneficiar o transporte fluvial ao longo do Rio Taquari.


Fonte: GAZ.COM.BR


116 visualizações
Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 1, Bloco J, Entrada 10, Edíficio Clésio Andrade, sala 508, Cep:  70070-944

Contato: (61)3224-1008
faleconosco@fenavega.com
Siga nossas redes sociais:
  • Facebook Social Icon

© 2020  - Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária