Buscar

Entidades conversam sobre regularização de embarcações para observação de baleias no ES


A Companhia de Desenvolvimento, Inovação e Turismo de Vitória (CDV), o Governo do Estado, a Capitania dos Portos, o Sebrae-ES e órgãos e entidades envolvidos com o segmento turístico de observação de baleias estiveram reunidos, na tarde desta quarta-feira (20), para profissionalizar ainda mais a atividade.


A temporada de observação de baleias neste ano começará na segunda quinzena de junho e segue até o mês de novembro. "O foco da reunião nesta tarde foram os donos das embarcações que vão fazer ou que fazem esse tipo de trabalho na capital para apresentar regras e, assim, chegar na temporada de observação de baleias com tudo 100% funcionando, com as embarcações liberadas pela Capitania dos Portos, para que a população e os turistas tenham uma sensação e uma real segurança para fazer o percurso e esse tipo de turismo, que vem crescendo muito em Vitória", apontou o presidente da CDV, Leonardo Krohling.


"Entendo que essa manifestação e esse tipo de encontro sempre são muito produtivos. Do ponto de vista do Estado, essa iniciativa nos dá a garantia e a tranquilidade na realização dessa atividade no sentido de promovê-la com segurança possível para o turista. Vamos ajudar para sermos parceiros e agregar a atividade", ressaltou o secretário de Estado do Turismo, Dorval Uliana.


Fiscalização

Representante da Capitania dos Portos, o capitão Luiz Afonso de Castro alertou os participantes que o órgão regulador será bastante atuante para que todos, donos de embarcações e também visitantes, tenham um excelente passeio com equipamentos dentro do que a norma prevê. "Vamos atuar com intensa fiscalização e inspeção em todas as saídas dos pontos de embarque localizados na Grande Vitória", ressaltou.


Ele acrescentou que a Capitania dos Portos está pronta para ajudar e orientar sobre o que cada embarcação precisa para estar regularizada. E informou que três embarcações estão devidamente qualificadas para a atividade de transporte de passageiros, costeira e apoio ao turismo, que podem atuar para a observação de baleias."


Indústria limpa

Para Tiago Ferrari, representante do Instituto Amigos da Jubarte, desde que a entidade foi criada há um trabalho coletivo para a realização da atividade, que começou em 2014. "Desde então, fizemos várias capacitações para apresentação das normas e regras para as embarcações e de observação dos cetáceos, com procedimentos e técnicas que precisam ser respeitados", contou.


Já o representante do Instituto Canal, Sandro Firmino, enfatizou que esse tipo de ação e parceria, agora envolvendo diversos organismos, é o que o segmento precisa para incrementar essa cadeia, que gera emprego, renda, é uma indústria limpa e tornou-se um novo produto turístico. "É preciso ter uma embarcação legal para um passeio seguro e prazeroso", disse.


Firmino ainda acrescentou: "Temos que aproveitar essa localização estratégica. Hoje, Vitória é o melhor ponto acessível para ver baleia no País. O turista de São Paulo, por exemplo, chega à capital capixaba, tem um receptivo e logo já está no mar vendo baleia, tudo rápido. E ainda pode voltar no mesmo dia para casa, Só Vitória consegue isso", afirmou.


Números

Ainda de acordo com Firmino, em 2017 foram cerca de 600 turistas de fora que vieram a Vitória fazer observação de baleias. Em 2018, houve um aumento da procura, com 1 mil visitantes. Eme 2019, segundo ele, há um grande procura.


Fonte: Folha Vitória

2 visualizações
Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 1, Bloco J, Entrada 10, Edíficio Clésio Andrade, sala 508, Cep:  70070-944

Contato: (61)3224-1008
faleconosco@fenavega.com
Siga nossas redes sociais:
  • Facebook Social Icon

© 2020  - Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária