Buscar

Entidades defendem investimentos em logística


Em reunião na Expointer, federações apontaram perda de competitividade resultante da ineficiência dos modais rodoviário, ferroviário e hidroviário do Estado.

Apesar de 88% da carga do Rio Grande do Sul ser transportada por rodovias, somente 21% das estradas têm pavimentação. Essa é apenas uma das faces dos problemas causados pela falta de estrutura adequada para escoar a produção, que resultam na perda de competitividade. É por isso que as principais federações do Estado estiveram reunidas, ontem, na Expointer Fiergs, Fecomércio, Farsul, Federarroz e Famurs, além da Associação Hidrovias RS, com alguns operadores privados. O objetivo é produzir um documento para ser entregue aos candidatos ao governo do Estado.

– Assim como está, não dá para ficar. Nenhum dos modais nos atende hoje – afirma Caio Nemitz, diretor da Federação da Agricultura do Estado (Farsul). 

Leia mais :: RBS lança comitê para discutir o agronegócio :: Evento na Expointer aborda o futuro do agronegócio :: Paixão Cortês é homenageado durante a Expointer

Os números sustentam a indignação do setor. Além da precariedade das rodovias, as possíveis alternativas deixam muito a desejar. No modal hidroviário, existem 1.280 quilômetros no Estado, mas somente 700 quilômetros estão hoje em operação. Nas ferrovias, o cenário é ainda mais desolador.

– Estamos desassistidos, os contratos de concessão não são cumpridos – diz Fábio Avancini Rodrigues, da diretoria da Farsul. 

E nas rodovias, a falta de investimento é notória. Segundo os dirigentes, o Rio Grande do Sul “tem as mesmas estradas nos últimos 30 anos, com o dobro de produção e cinco vezes mais carros”. A conclusão do grupo é de que tem de haver investimento em ferrovias e hidrovias.

O custo da produção gaúcha é 30% maior do que seria se a logística fosse eficiente, apontam as federações.

– Se tivéssemos a mesma estrutura da logística americana, poderíamos ter rentabilidade 70% maior –acrescenta Rodrigues.

Ciente de que o Estado não tem dinheiro, o setor entende que, para fazer os investimentos necessários, será preciso abrir caminho para as parcerias público-privadas. Resta saber se essa demanda encontrará eco no próximo governador. Fonte: gauchazh.clicrbs.com.br

4 visualizações
Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 1, Bloco J, Entrada 10, Edíficio Clésio Andrade, sala 508, Cep:  70070-944

Contato: (61)3224-1008
faleconosco@fenavega.com
Siga nossas redes sociais:
  • Facebook Social Icon

© 2020  - Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária