Buscar

Estiagem afeta sete de cada 10 municípios gaúchos

Clima adverso leva as 25 bacias hidrográficas do Estado a registrarem baixa disponibilidade de água.


A escassez de chuva em abril agravou aestiagemnoRio Grande do Sule levou diversos rios gaúchos aos menores níveis já registrados. De acordo com a Defesa Civil, o Estado já tem 359 dos 497 municípios impactados pelo tempo seco, sendo 337 com decretos de emergência publicados. Isso representa 72% do território gaúcho, ou sete em cada 10 cidades que informaram o problema. O déficit hídrico verificado desde novembro de 2019 afeta a produção rural e o abastecimento de água na zona urbana de cidades de todas as regiões. 


Encontrar barragens e açudes secos e rios com menos de um metro de profundidade se tornou algo corriqueiro no Estado. Os rios Uruguai, Camaquã e Taquari chegaram aos níveis mais baixos desde o início das medições, há três décadas, de acordo com os registros da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. No momento, todas as 25 bacias hidrográficas do Estado têm baixa disponibilidade hídrica. Neste grupo, 10 permanecem em situação de alerta, entre elas Gravataí, Lago Guaíba, Sinos, Caí, Alto e Baixo Jacuí. 

- Chegamos a um estágio bastante preocupante, que ainda pode se agravar se não tivermos chuva nas próximas semanas - resume o coordenador estadual da Defesa Civil, Júlio César Lopes, destacando que a situação é mais preocupante nas regiões Central, Sul e Metropolitana.  

Em meio ao cenário crítico de reservatórios e barragens, o fornecimento de água à população é realizado com dificuldades. Na área de atendimento da Corsan, que abrange 317 municípios, não há racionamento. No entanto, o diretor de operações André Finamor relata que a situação em muitas localidades já está chegando no limite, o que pode gerar uma mudança de planos caso a falta de chuva se prolongue em maio. 

- Se for necessário, temos planos de contingência e racionamento preparados para todos os municípios. Pedimos, neste momento, que as pessoas façam o uso racional da água - apela Finamor. 


Atualmente, a Corsan utiliza cerca de 40 caminhões-pipa para realizar o fornecimento de água em 10 municípios de Serra, Vale do Taquari e Norte. A estatal também está perfurando seis poços para viabilizar o abastecimento, sendo dois em Santa Cruz do Sul, uma das cidades que mais preocupam no momento.


Fonte: Gauchazh

3 visualizações