Buscar

Governo do Pará investe em portos e terminais hidroviários

Diversas obras estão em andamento. Conheça-as!


Situado em plena floresta amazônica, o Estado do Pará é entrecortado por rios, baías, igarapés e pelo próprio oceano Atlântico. Mais de 50% dos municípios são atendidos também pelo modal hidroviário, sendo que alguns dependem exclusivamente da via fluvial para transporte de carga e passageiros, como é o caso de Faro, na região do Baixo Amazonas.


Em fevereiro, a população de Faro recebeu o novo Terminal Hidroviário de Passageiros e Cargas, beneficiando mais de 12 mil pessoas. Antes, os usuários utilizavam um pequeno flutuante e precisavam colocar os pés na água e na areia para embarque e desembarque no município.

“Além de fazer a integração das regiões, os moradores precisam de um espaço digno. Como disse o governador Helder Barbalho, os rios também são as nossas ruas, e determinou um levantamento para readequação e construção de novos terminais”, informou Abraão Benassuly, presidente da Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH).


O Governo do Pará, por meio da CPH, já entregou terminais em quatro municípios desde 2019: Terra Santa, em junho, Faro (fevereiro), Prainha e Limoeiro do Ajuru (ambos em março deste ano). Os investimentos totais das entregas estão na ordem de R$ 13 milhões.


Em outras 24 cidades, projetos estão em desenvolvimento para construção e readequação, inclusive Monte Alegre, após compromisso firmado pelo governador no dia 8 de julho. Estão em estágio avançado o andamento das obras dos terminais hidroviários de Almeirim, Curuá, Santana do Tapará, e Santarém. 


Terminal de Santarém

 Com um investimento de R$ 60 milhões, Santarém deve ganhar o maior e mais moderno terminal hidroviário do país. O espaço terá 3,6 mil metros quadrados de área construída, 16 guichês para venda de bilhetes, guarda-volumes, sistema de climatização, banheiros masculino, feminino e para pessoas com deficiência, farmácia, três lanchonetes e restaurante. A sala de espera vai contar com 1.205 cadeiras e rede wi-fi gratuita. 


Haverá, ainda, espaços para instalação de lojas e quiosques, e salas para órgãos de segurança e justiça, como Polícia Militar, Conselho Tutelar e Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Pará (Arcon). Já o terminal de cargas terá um galpão com mais de 6 mil metros quadrados.


Para auxiliar no embarque e desembarque de passageiros, o espaço terá rampa metálica biarticulada, passarela coberta em concreto e flutuante com oito fingers, para atraque das embarcações. Na área externa, vai dispor de estacionamento com 5,8 mil metros quadrados e vagas para carros, motocicletas e bicicletas, além de pontos para táxis e ônibus. 


Terminal de Almeirim

Orçado em pouco mais de R$ 3,7 milhões, com recursos da Caixa Econômica, o terminal terá cadeiras confortáveis para 20 lugares; televisão; bebedouro; ar-condicionado; lanchonete; guichês para vendas de passagens e banheiros masculino, feminino e para pessoas com necessidades especiais. Do lado de fora, uma passarela de ligação coberta dará acesso aos flutuantes, equipada com rampas metálicas biarticuladas, sistema de amarração e fundeio para embarcações. 


Terminais de Curuá e Santana do Tapará

As estruturas terão terminal de cargas, cadeiras confortáveis, carrinhos para bagagens, guichês para vendas de passagens, sala para órgãos de defesa social, televisão, bebedouro, banheiros masculino, feminino e para portadores de necessidades especiais. Já as obras navais compreendem duas rampas metálicas articuladas cobertas, uma rampa para acesso ao flutuante principal coberto, além de sistema de amarração e fundeio para embarcações. As obras representam um investimento de menos de R$ 4 milhões, cada. 


A entrega de novos equipamentos proporcionam melhorias para os municípios. “Entendemos que com as estruturas, as prefeituras podem reunir as empresas de prestação de serviço para operar, e a  Arcon (Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará), do mesmo modo, tem como exigir o cumprimento da oferta de maior conforto e segurança nas embarcações”, complementou o presidente Benassuly.


A CPH informou que estão em fase de desenvolvimento de projetos os terminais de Conceição do Araguaia, Alenquer, Maracanã, Monte Alegre, Mocajuba, Algodoal, Acará, Salvaterra, Limoeiro do Ajuru, Curralinho, Óbidos, além de um novo conjunto naval para Belém. “O processo está em andamento. Com o terceiro conjunto naval vamos aumentar 50% a capacidade e 35% a clientela do terminal”, afirmou Benassuly.


Já para readequação, estão previstos os terminais de Breves, Soure, Santa Cruz do Arari, Melgaço, Muaná, Ponta de Pedras, Anajás, Cachoeira do Arari, Portel, Afuá, Bagre e Chaves na ilha do Marajó.


Fonte: Governo do Pará

4 visualizações
Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 1, Bloco J, Entrada 10, Edíficio Clésio Andrade, sala 508, Cep:  70070-944

Contato: (61)3224-1008
faleconosco@fenavega.com
Siga nossas redes sociais:
  • Facebook Social Icon

© 2020  - Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária