Buscar

Hidrovias e os motivos do não avanço desse modal serão discutidos em seminário no Instituto de Engen


Dentro de sua visão estratégica voltada à construção de soluções para um Brasil melhor, o Instituto de Engenharia (IE) vai promover, no próximo dia 27 de agosto, o seminário “A Importância das Hidrovias no Brasil – Por que as hidrovias não deslancham?”. O evento é feito em parceria com o Instituto de Relações Internacionais & Comércio Exterior (IRICE) e o Diálogos Hidroviáveis e vai expor pontos estratégicos que mostram o modelo hidroviário como um dos mais eficientes para a matriz de transportes nacional.


Entre as autoridades e executivos confirmados estão o ministro João Carlos Parkinson de Castro, das Relações Exteriores; coronel Zenedir da Mota Fontoura, assessor Especial da vice-presidência da República; João Otaviano Machado Neto, secretário de Logística e Transportes de São Paulo; Eduardo Lafraia, presidente do IE e o embaixador Rubens Barbosa, presidente do IRICE, além de outros palestrantes.


“Diferentemente dos modos de transporte rodoviário, ferroviário e aéreo, a hidrovia é um grande vetor de desenvolvimento regional e de integração nacional, pois se integra a todos os modos de transporte, por meio dos 44 mil km potencialmente navegáveis apenas em território nacional. Acreditamos que é de suma importância equilibrar nossa matriz de transportes e se beneficiar das grandes vantagens da hidrovia, sendo hoje, a mais barata e eficiente para grandes cargas a longas distâncias, por exemplo, com o deslocamento de contêineres em todo o mundo”, afirma José Wagner Leite Ferreira, coordenador da Divisão Técnica de Logística do IE.


Outro diferencial do evento será o painel com Antonio Castillo, diretor geral do Escritório Comercial do Peru no Brasil, que vai expor dados do projeto da hidrovia Amazônica no Peru. “O Brasil perde hoje no transporte de bens e mercadorias tudo aquilo que ganha na produtividade do agronegócio. Entendo ser importante começarmos avaliar a hidrovia dentro desse negócio, pois se abrirmos o transporte para o modal hidroviário, temos grande chance de sermos ainda mais relevantes e competitivos perante os mercados do Mercosul e da União Europeia”, reforça José Wagner.


No fim do evento, Eduardo Lafraia, José Wagner Ferreira e Rubens Barbosa vão entregar aos representantes do governo Federal um documento de proposta para a construção de uma política hidroviária efetiva no Brasil. Para mais informações, cadastro e programação completa, acesse https://www.institutodeengenharia.org.br/site/events/a-importancia-das-hidrovias-no-brasil/.


Fonte: Porto Gente

4 visualizações
Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 1, Bloco J, Entrada 10, Edíficio Clésio Andrade, sala 508, Cep:  70070-944

Contato: (61)3224-1008
faleconosco@fenavega.com
Siga nossas redes sociais:
  • Facebook Social Icon

© 2020  - Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária