Buscar

Icoaraci vai ganhar Terminal Hidroviário Turístico construído pela CPH

Equipes da Companhia de Portos e Hidrovias (CPH); Setur; Belemtur; e Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) visitaram o local onde a obra será erguida


Para potencializar o turismo em Belém, o distrito de Icoaraci ganhará um terminal hidroviário turístico. Equipes da Companhia de Portos e Hidrovias (CPH); Secretaria de Estado de Turismo (Setur); Coordenadoria Municipal de Turismo (Belemtur); e Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) participaram, na manhã desta segunda-feira (1º), de uma visita técnica ao local onde será erguida a obra.


Previsto para iniciar até o final do ano, o projeto tem recursos garantidos estimados em R$ 8 milhões, dos quais metade serão aporte do tesouro estadual e o restante oriundo de emenda parlamentar do deputado federal, José Priante (MDB).


O equipamento dará mais condições para o receptivo de cruzeiros nacionais e internacionais que chegam a Icoaraci. “Esses transatlânticos ficam fundeados fora, não podem vir para a orla devido o canal de navegação e o assoreamento do rio. Mas as pessoas precisam de um espaço digno para embarque e desembarque. Estamos projetando a obra civil e a naval. Tecnicamente essas embarcações possuem um calado muito grande e ficariam encalhadas se ficassem na orla”, explicou Abraão Benassuly, presidente da CPH.


Segundo o presidente da Companhia, o terminal contará com cadeiras confortáveis, banheiros, guichês para vendas de passagens, lanchonete, salas para órgãos do governo, guarda-volumes, TV e bebedouro. Já a obra naval contemplará a instalação de rampa metálica biarticulada coberta e flutuante coberto, para embarque e desembarque de passageiros.


Rota dos Cruzeiros - Na temporada 2019/2020, 16 embarcações de diversas partes do mundo atracaram no Distrito de Icoarai, em média, com 1.000 turistas cada. Eles foram levados em botes até a rampa que dá acesso aos ônibus de passeio,em programações promovidas pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur).

“Nós organizamos essa recepção, contando com uma grande parceria com os demais órgãos de segurança, trânsito e cultura. Trouxemos o Arraial do Pavulagem, montamos uma feira de artesanato, uma equipe de recepcionistas bilíngues. O maior complicador é a falta de estrutura em Icoaraci, pois que no mesmo trapiche ocorre o desembarque de mercadorias e dos barcos que vão para Cotijuba”, explicou o secretário de estadual de Turismo, André Dias.


De acordo com a Setur, os dados, acima, representam um fortalecimento da capital paraense na rota do turismo, interrompida em virtude da pandemia. Entretanto, empresas operadoras do setor continuam demandando investimentos em estrutura, já que a atual não está adequada.

“Belém precisa ter uma nota alta de avaliação de desembarques para que seja mantida nos itinerários. Temos que trabalhar isso para não perder esse fluxo importante. Cada cruzeirista injeta em média US$ 150, por desembarque, o que representa mais de R$ 10 milhões. Estamos trabalhando com a CPH para criar essa estrutura e melhorar esse desembarque, para manter e angariar mais cruzeiros nas próximas temporadas”, pontuou o secretário André Dias.


A obra será possível por meio de parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Belém, que cederá o terreno de cerca de seis mil metros quadrados para a construção do equipamento. Deivison Alves, titular da Seurb, informou que após a conclusão, o município deve gerenciar o ambiente com oferta de serviços.

“A ideia dessa visita é reunir as secretarias afins para conduzir o entendimento e dar o parecer. Esse entorno de Icoaraci está mais próximo da maré, o que facilita a obra ser executada. Vamos analisar o termo de cooperação junto ao prefeito e, nessa caminhada em conjunto, faremos o desenvolvimento acontecer para a nossa cidade. Com certeza, teremos desde a obra, injeção na economia com centenas de empregos gerados. Quem ganha com isso é a população, especialmente do distrito de Icoaraci”, afirmou o secretário municipal.


André Cunha, coordenador municipal de Turismo, acredita que a parceria entre Estado e Município tende a engrandecer Belém e melhorar a qualidade dos serviços. “Esse terminal hidroviário turístico de Icoaraci era um desejo antigo de todos os segmentos que envolvem o turismo na capital. Ele vem no momento oportuno para que possamos oferecer infraestrutura. Acreditamos que na próxima temporada, em novembro, vamos receber cruzeiros ainda de forma tímida por conta da pandemia, mas com a vacinação já vemos melhores perspectivas. Em 2022, o terminal estará pronto e poderemos receber nossos turistas do jeito que eles merecem”, destacou o titular da Belemtur.


Investimentos - O novo terminal de Icoaraci segue a estratégia do Governo do Estado, que a exemplo do que tem sido feito nas estradas e rodovias, também investe na recuperação da malha hidroviária.

“Estamos com 16 proajetos de revitalização dos terminais do Marajó, assim como a construção de outros 7 no Baixo Amazonas. Já entregamos o Terminal Hidroviário de Faro, Terra Santa, Curuá, Prainha e agora vamos entregar Almeirim, Santana do Tapará e em junho está prevista a de Santarém, que está sendo considerada pelas autoridades portuárias como o maior terminal do Brasil”, acrescentou o presidente da CPH, Abraão Benassuly.


Fonte: Agência Pará


4 visualizações