Buscar

Lucro líquido da SPA cresce 93% no primeiro trimestre e atinge R$ 71 milhões

Com quase R$ 1 bilhão em caixa, estatal anuncia autonomia de investimentos e proporá ao governo cancelamento de envio de recursos do Tesouro


A Santos Port Authority (SPA), estatal que administra o Porto de Santos (SP), encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 70,8 milhões, alta de 93% sobre o mesmo período de 2020. O bom desempenho é resultado do aumento da receita e do recuo de custos e despesas, como parte da política adotada pela atual gestão desde 2019.


Tal esforço permitiu à SPA encerrar o trimestre com uma posição de caixa de quase R$ 940 milhões, um acréscimo de 45,9% em relação ao primeiro trimestre de 2020. Com isso, a estatal vai propor ao Ministério da Infraestrutura (Minfra), pasta à qual é vinculada, o cancelamento de todos os valores a título de “restos a pagar” relativos às ações de investimentos em curso.

Com o cancelamento dos restos a pagar vigentes (R$ 238 milhões) e a devolução de valores enviados pelo Governo Federal para ações de investimentos pendentes de execução (R$ 12 milhões), a decisão da SPA resultará em economia de mais de R$ 250 milhões aos cofres da União nos próximos anos. Segundo ele, os novos investimentos passarão a ser custeados por caixa próprio da empresa.


RESULTADOS – No primeiro trimestre, a receita líquida da SPA cresceu 2,8%, alcançando R$ 253,2 milhões, o que foi favorecido pelo incremento na movimentação de cargas e reflexo da continuidade do bom desempenho das exportações, além da recuperação observada nas importações. Em março, a SPA atingiu o recorde histórico de movimentação de cargas, com 15,2 milhões de toneladas.


O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), ajustado por eventos extraordinários, avançou 39,9%, chegando a R$ 139 milhões, com margem de 54,9% – um crescimento de 14,6 pontos percentuais na comparação com o primeiro trimestre de 2020.


Ao mesmo tempo, a empresa racionalizou gastos e revisou processos, o que contribuiu para redução de 4,5% nos custos e de 28,7% nas despesas administrativas da SPA.

* Com informações da Santos Port Authority (SPA)


Fonte: Assessoria Especial de Comunicação

Ministério da Infraestrutura

6 visualizações