Buscar

Movimentação portuária cresce 5,5% de janeiro a outubro de 2021

No período, foram movimentados 1,010 bilhão de toneladas. As informações são do Painel Estatístico Aquaviário da ANTAQ



O setor portuário nacional (portos públicos e portos privados) movimentou, de janeiro a outubro deste ano, 1,010 bilhão de toneladas. O número representou crescimento de 5,5% em relação a igual período de 2020. Os portos públicos movimentaram 344,5 milhões de toneladas, aumento de 5,01%, e as instalações privadas 665,8 milhões de toneladas (+ 5,70%). As informações são do Painel Estatístico Aquaviário da ANTAQ.

Os portos privados que tiveram maior crescimento relativo de movimentação em relação ao período janeiro/outubro de 2020 foram o Terminal Aquaviário de São Francisco do Sul, com mais 95,3%, e o Terminal Portuário do Pecém, com mais 36,2%. Entre os portos públicos, os destaques foram os portos do Itaqui (+27,0%) e Itaguai (+21,1%).

As instalações com maiores crescimentos relativos foram:

■Terminal Aquaviário de São Francisco do Sul (Total: 14,7 mi t, 17º em mov.), ▲95,3%

■Terminal Portuário do Pecém (Total: 17,6 mi t, 15º em mov), ▲36,2%

■Terminal Aquaviário de Osório (Total: 10,6 mi t, 21º em mov), ▲31,2%

■Terminal Aquaviário da Ilha d’Água (Total: 18,1 mi t, 13º em mov), ▲27,3%

■Itaqui (Total: 26,9 mi t, 8º em mov), ▲27,0%

■Terminal Ilha Guaíba – TIG (Total: 22,4 mi t, 11º em mov), ▲20,2%

■Itaguaí (Total: 44,8 mi t, 5º em mov), ▲21,1


Em relação aos perfis de carga, o granel sólido (que representa 58,4% do total das cargas movimentadas nas instalações portuárias brasileiras) cresceu 1,8% em comparação com o mesmo período do ano passado, alcançando a movimentação de 589,7 milhões de toneladas. O granel líquido totalizou 260,8 milhões de toneladas (25,8% do total), registrando, até outubro de 2021, aumento de 9,7% em relação ao apurado nos dez meses do ano passado. A movimentação de carga conteinerizada alcançou 110,6 milhões de toneladas, com crescimento de 13,88%, e carga geral solta (com share de 4,9% do total) cresceu 11,7%, somando a 49,2 milhões de toneladas.



Entre as cargas mais movimentadas no período (jan/out), além dos contêineres, destaque para petróleo e derivados, que representaram 22,9% de toda a movimentação (231,7 milhões de toneladas), e crescimento de 7,9% em comparação com igual período de 2020; adubos (fertilizantes), com participação de 31,8 milhões de toneladas, crescimento de 15,3%; carvão mineral, que movimentou 21,4 milhões de toneladas, alta de 39,6%; e ferro e aço que registraram 20,0 milhões de toneladas movimentadas, elevação de 26,1%.


Fonte: ANTAQ


7 visualizações