Buscar

O Brasil deve aproveitar mais seus milhares de quilômetros de rios para transporte, sugere estudo


RÍO DE JANEIRO, 18 oct (Xinhua) -- Según un estudio de la Confederación Nacional del Transporte (CNT), Brasil usa apenas 19.000 kilómetros de ríos, o sea el 30,9 por ciento de toda su red fluvial, para el transporte comercial de cargas o pasajeros.

Isso significa que, ainda considerado um dos países com mais rios do mundo, com seus maiores rios navegáveis ​​na região amazônica, o Brasil utiliza apenas um terço dos 63.000 quilômetros navegáveis ​​que possui em seus afluentes, ou seja, apenas os 5% do transporte é feito por rio.


Segundo o presidente da Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquática (Fenavega), Raimundo Holanda, um dos motivos que justifica o pouco uso do transporte fluvial no país é a falta de infraestrutura, burocracia e a pouca atenção recebida pelo setor de políticas públicas nos últimos anos, com baixos investimentos.


Entre 2011 e 2018, os investimentos em navegação interior no Brasil representaram uma média de 10,6% do valor calculado nos planos do governo federal para o setor.


"A navegação não dá votos. O setor sofre com os poucos investimentos e infraestrutura", disse Holanda, que lembrou que entre 2009 e 2018, os investimentos federais no setor fluvial brasileiro caíram 80%, de 831 milhões de reais para 173 (de 202 milhões para 42 milhões de dólares).


A CNT disse em seu relatório que seriam necessários pelo menos 166,4 bilhões de reais (US $ 40,5 bilhões) para oferecer bons serviços e qualidade na infraestrutura fluvial.


Apesar dos poucos recursos investidos no setor, o volume de cargas transportadas por rios no Brasil aumentou 34,8% entre 2010 e 2018, de 75,3 milhões de toneladas para mais de 100 milhões de toneladas, embora o valor pode ser muito maior porque a Agência Nacional de Transportes Aquáticos (Antaq) não registra todo o movimento de carga nos portos fluviais do país.


"Se aumentarmos a capacidade de transporte fluvial, reduziremos a pressão existente nas estradas, responsável pela maior parte do transporte de cargas no país. Isso também reduziria o preço do transporte, porque um comboio de barcaças pode transportar o mesmo que 172 caminhões, tornando o preço do transporte 60% menor do que o rodoviário ", afirmou Holanda.


Outros aspectos positivos oferecidos pelo transporte fluvial são, além de uma grande capacidade de carga, um baixo custo da tonelada transportada e menos poluição.


"Um país com as dimensões do Brasil deve considerar um melhor equilíbrio dos modos de transporte disponíveis. Somente dessa maneira seria possível aumentar a eficiência e a competitividade no transporte. E o transporte fluvial tem capacidade para reduzir a pressão nas estradas" , concluiu a CNT.


Fonte: Xinhua Español

0 visualização
Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 1, Bloco J, Entrada 10, Edíficio Clésio Andrade, sala 508, Cep:  70070-944

Contato: (61)3224-1008
faleconosco@fenavega.com
Siga nossas redes sociais:
  • Facebook Social Icon

© 2020  - Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária