Buscar

Operações da IP4 de Cai N’Água são retomadas nesta segunda-feira (4)

Equipes da Autarquia concluíram obras emergenciais para melhorias no terminal


O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) retomou, nesta segunda-feira (4), as operações da Instalação Portuária Pública de Pequeno Porte (IP4) de Cai N’Água, em Rondônia. O terminal hidroviário estava fora de operação desde o segundo semestre do ano passado, após o escorregamento do talude levar o berço de apoio do flutuante intermediário, durante a vazante do Rio Madeira, e tornar inseguro o uso das pontes de acesso ao cais de atracação das embarcações.


Desde o ocorrido, o DNIT atuou com estudo do caso e, em seguida, com a execução dos serviços construção de novo berço de apoio e de recuperação da plataforma de embarque e desembarque. As equipes da Autarquia também reconstruíram o talude, estrutura de contenção da margem fluvial, além de executar a recuperação do sistema de fundeio, responsável pela estabilidade dos flutuantes principal e intermediário.


As obras no local foram concluídas em março, com investimento de R$ 7,7 milhões, e após a verificação dos serviços executados e demais procedimentos necessários foi possível disponibilizar o terminal para atender novamente e com segurança a população.


Importância - Inaugurado em 2012, o porto de Cai N’Água fica na margem direita do Rio Madeira, região central de Porto Velho, e foi a primeira IP4 na calha do rio, com fundamental importância no transporte de passageiros e pequenas cargas entre Porto Velho e Manaus.


O terminal beneficia um grande fluxo de pessoas que utilizam o transporte hidroviário na região, o que representa um diferencial de segurança e conforto na vida dos ribeirinhos. Antes da construção do local, os usuários da hidrovia precisavam descer e subir barrancos carregando bagagens e outras cargas fracionadas.


Além disso, a retomada das operações do terminal promove melhorias no escoamento de mercadorias e produtos para as comunidades ao longo do Rio Madeira, também representando incremento ao turismo.


Fonte: Coordenação-Geral de Comunicação Social - DNIT

4 visualizações