Buscar

Parceria com iniciativa privada vai transformar Santos no maior porto do Hemisfério Sul

Atualizado: Ago 26

Na Santos Export, ministro da Infraestrutura convidou o setor a participar da modelagem para desestatização do porto




A parceria com a iniciativa privada tem a capacidade de transformar o Porto de Santos no maior terminal em operação em todo o Hemisfério Sul, afirmou nesta segunda-feira (23) o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. Com expectativa de investimentos de R$ 16 bilhões, o Ministério da Infraestrutura avança na estruturação do projeto de Santos com o objetivo de apresentá-lo para a fase de audiência pública até outubro. “Precisamos aproveitar o benefício que virá com a iniciativa privada. Quando que teríamos um montante desse [para investir]? Estamos falando em investimentos para corrigir os acessos ao porto, para a dragagem da profundidade do canal, falando em equacionar a travessia seca entre Santos e Guarujá”, destacou o ministro, ao participar da abertura da Santos Export, evento que reúne as principais lideranças e especialistas da logística e infraestrutura portuárias nacionais.



DEBATE – O ministro, inclusive, aproveitou para convocar os representantes do setor a participar do aperfeiçoamento do projeto, principalmente, com relação à segurança jurídica visando proteger os contratos de arrendamentos vigentes. “Convido a todos a debater para que tenhamos um modelo campeão. É hora de arregaçar as mangas e formar o modelo junto conosco. Não há o que temer. Não queremos deixar nenhuma ponta solta”, afirmou Tarcísio, que também apontou a aprovação do BR do Mar como fundamental para tornar o Brasil mais competitivo na cabotagem.


Ao mesmo tempo em que avança em projetos para desestatizações portuárias – a primeira será a da Codesa, no Espírito Santo –, o MInfra também segue focado nos arrendamentos portuários. Em novembro, nove áreas serão leiloadas, entre elas, duas justamente no porto de Santos: STS08 e STS08A. Voltadas ao armazenamento de granéis líquidos (combustíveis), juntas receberão investimentos de cerca de R$ 1 bilhão.


Fonte: Assessoria Especial de Comunicação Ministério da Infraestrutura


6 visualizações