Buscar

Portos brasileiros movimentaram 179,8 milhões de toneladas no primeiro bimestre

A movimentação cresceu 1,8% nos primeiros dois meses do ano. Portos públicos registraram aumento de 8% no período

O setor portuário nacional (portos públicos e terminais autorizados) movimentou 179,8 milhões no primeiro bimestre deste ano. O número representa crescimento de 1,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são da ANTAQ e foram divulgados nesta quinta-feira (7).


De acordo com as estatísticas, os terminais privados movimentaram 120,1 milhões de toneladas em janeiro e fevereiro, queda de 1% em relação ao mesmo período do ano passado. Os portos públicos movimentaram 59,6 milhões de toneladas, aumento de 8%.


Um dos destaques foi o Porta de Vila do Conde (PA), que movimentou 27% a mais neste primeiro bimestre do que no anterior. Em 2022, a instalação paraense movimentou três milhões de toneladas. O Terminal Aquaviário de Madre de Deus (BA) movimentou 3,2 milhões de toneladas, aumento de 16%.


Em relação aos perfis de carga, as instalações portuárias movimentaram 99 milhões de toneladas de granel sólido nos primeiros dois meses, crescimento de 3,9% em relação ao primeiro bimestre de 2021. A movimentação de granel líquido caiu 3,2%. Neste ano, foram movimentados 49,8 milhões de toneladas. A carga geral solta cresceu 19,8%, chegando a 11,3 milhões de toneladas. A carga conteinerizada registrou queda de 3,9% em relação ao primeiro bimestre de 2021. Em janeiro e fevereiro acumulados, foram movimentados 19,7 milhões de toneladas (1,8 milhão de TEUs).


Cargas

O minério de ferro foi a carga mais movimentada nesse início de ano. Em janeiro e fevereiro, movimentaram-se 49,4 milhões de toneladas: recuo de 8%. Soja, trigo e adubos (fertilizantes) cresceram 55,8%, 29,1% e 27,8%, respectivamente.


Ranking das Instalações Portuárias

O Terminal de Ponta da Madeira (MA) foi a instalação que mais movimentou nos primeiros dois meses do ano: 26 milhões de toneladas, recuo de 8,75% em relação ao mesmo período de 2021. Em segundo lugar, apareceu o Porto de Santos (SP), que movimentou 17,9 milhões de toneladas, crescimento de 14,2%. Na terceira posição, ficou o Terminal Aquaviário de Angra dos Reis (RJ), com 11 milhões de toneladas movimentadas (- 0,1%).


Navegações

A navegação de longo curso movimentou 122 milhões de toneladas no primeiro bimestre de 2022, crescimento de 3,2% em comparação com igual período de 2021. A cabotagem movimentou 46,3 milhões de toneladas, recuo de 3,4%. Já a navegação interior cresceu 10,2%, com 11 milhões de toneladas em janeiro e fevereiro acumulados.


Novo Indicador

A partir deste mês, o Painel Estatístico da ANTAQ traz um novo indicador: a Taxa Média de Ocupação (TMO), que informa o quanto uma instalação portuária está disponível para receber navios. O novo parâmetro serve para indicar gargalos, eventuais necessidades de ampliações e investimentos, além de auxiliar na mensuração de produtividades.


A TMO alcança o porto organizado como um todo (berços públicos e berços arrendados), terminais arrendados e terminais autorizados. Também pode apresentar o valor individualmente para um berço específico de qualquer instalação portuária brasileira.


Por exemplo, o Porto de Itaguaí (RJ) registrou uma TMO de 78% em 2021, tendo em seu terminal arrendado Tecar a maior taxa anual desse porto organizado (85,3% de ocupação de berço). Outro exemplo: um dos terminais privados com maior taxa de ocupação no mesmo ano foi o Terminal Aquaviário de Angra dos Reis (RJ), com uma TMO de 83%.


Para conferir todos os dados portuários, acesse: anuario.antaq.gov.br. Para saber sobre a TMO, clique na aba “Indicadores”.


Fonte: Antaq

2 visualizações